Processamento: Lavado
Produtor: locais
Região: Nyeri, Kenya
Variedade: SL28 e SL34
Colheita: 12/2017
Altitude: 1200-2300 metros
Preço: 9€/250gr.

Notas de prova: toranja, limão, abacaxi
Aroma: intenso
Acidez: média
Final: longo

Que bom Café!

É assim que apetece começar, deixar os sentidos falarem e dizer mesmo mais, que delicioso Café. Frutado, doce, profundo mas ao mesmo tempo delicado, de um paladar prolongado, bom corpo e acidez brilhante.

Este é o nosso Quénia favorito do ano.

Como se pode ler na embalagem, o processo de fermentação deste Café é imaculado, como de costume, neste país. As cerejas maduras sem polpa e fermentadas em água limpa durante 12 a 48 horas, segundo as condições climatéricas, são lavadas, classificadas e secas em esteiras africanas durante 2 a 3 semanas até atingirem uma percentagem de humidade de 12%. Na chávena, encontramos um ‘Quénia’ muito cítrico e frutado, com notas que nos lembram toranja e limão. As variedades aqui presentes, SL-28/34, são das mais apreciadas a nível do Café de Especialidade.

Apreciámos o design da embalagem, com as siglas representando o principal do conteúdo, Filtro. Kenya. Ichamara, assim como o sistema de vácuo. O grão pode ser apreciado por uma abertura redonda no fundo.

A região de Nyeri, no centro do país, é dominada pelo vulcão extinto, actualmente, conhecido pelo Monte Quénia. Os solos vermelhos produzem do melhor Café do Quénia, sendo a agricultura uma das principais fontes de riqueza, com destaque para a cultura de Café. Cooperativas de pequenos agricultores contribuem para a qualidade do grão. As árvores em Nyeri produzem duas colheitas por ano, de elevada qualidade. A estação de lavagem de Ichamara trabalha com 1500 pequenos produtores da região e faz parte da Sociedade Gikaru Coop, em Nyeri. É uma pequena fábrica (uma das cinco na Coop) que compra/processa Café de pequenas propriedades familiares.

Barcelona continua a ser uma das capitais do Café de Especialidade, e a Nomad, dirigida pela batuta de Jordi Mestre, um dos seus pilares.

Mais uma vez o nosso agradecimento Àquela Barista Joana Pires Coelho, que nos trouxe da capital Catalã este F. Ke. Ich. acabadinho de torrar!