Aqueles Baristas foram, finalmente, visitar o Café de Especialidade que se extrai no Porto, a Cidade Invicta que deu o nome a Portugal, quando ainda se chamava Portus Cale, vindo mais tarde a tornar-se a capital do Condado Portucalense, de onde se formou Portugal. É ainda uma cidade conhecida mundialmente pelo seu vinho, pelas suas pontes e arquitectura, o seu centro histórico classificado como Património Mundial pela UNESCO, pela qualidade dos seus restaurantes, pela sua gastronomia, e agora também pelo dito Café especial. As grandes cafetarias sempre foram ali um dos grandes lugares de encontro, destacando-se a beleza interior do famoso Majestic, por exemplo, ainda hoje bem activo, infelizmente servindo Café sem chama.

Armados de um google maps onde marcámos todos os pontos a visitar, chegámos de manhã bem cedo a Campanhã e a primeira paragem foi no Chá das Cinco, que vai merecer um artigo próprio, assim como a escala seguinte, depois de passar a icónica ponte D. Luís pelo tabuleiro inferior, já a sul do Douro, a 7G Roaster, onde conhecemos, finalmente, o nosso mais internacional Barista, David Coelho.

Depois do almoço, voltámos para norte do Rio subindo primeiro pelo Teleférico de Gaia, e a seguir pelo tabuleiro superior da referida ponte, onde visitámos, já perto de S. Bento, a Combi Coffee Truck, Café de Especialidade em plena rua, seguindo depois para a outra loja Combi, The Coffee Room, mesmo ao lado dos Aliados, onde, no primeiro andar, integrada em loja de vestuário e calçado, tomámos um Iced Coffee, que o calor apertava.

Seguindo em direcção aos Clérigos, por entre ordas de turistas, passando pela Livraria Lello, que se ainda é uma livraria parece mais uma atracção de circo, chegámos à zona da Universidade onde espreitámos o antigo Café Progresso, que agora serve Specialty Coffee, que por estar à cunha, apenas conseguimos olhar e sair.

Iniciando o périplo de regresso a Campanhã fechámos a estada na Mesa 325, que vai, igualmente, merecer atenção dedicada.

O Porto sabe comer e sempre soube tomar Café, e agora mais do que nunca tem em si algum do melhor Café que se cultiva no Mundo, pela mão de quem o sabe tratar e servir.
Havemos de voltar.