A minha primeira visita, aqui no Blog, a uma Coffee Shop, sentindo a emoção do encontro sensorial e, também, porque é a mais nova Loja com Café a sério de Lisboa.

Espaço amplo, bem decorado, mesas em grande quantidade, mobiliário confortável.

Logo em frente à entrada está bem visível o modo de pré-pagamento, mas existe um eficaz serviço de mesa a seguir. Gostei.

Somos recebidos por Jael, gestora do espaço, muito simpática e solícita, que, dizendo ao que íamos, logo se mostrou ainda mais prazerosa por apreciarmos o que tinha para oferecer. A casa, segundo nos explicou, pertence a um grupo de sócios portugueses, que pretende abrir mais lojas da cadeia, sendo esta a primeira. Venham elas!

Café embalado disponível para venda mesmo ao lado da caixa, recém torrado, claro, fomos logo de adquirir um lote, de que falaremos em artigo próprio. Uma vitrina bem recheada de iguarias variadas, para acompanhar o bom Café. Ainda não é possível pedir um V60, Chemex ou Aeropress, mas está para breve, segundo afiançaram. Fui por um espresso Etiópia, obtido em processo Lavado, Limu Ilubabor, como se pode ver, acompanhado da respectiva ficha. Muito interessante!

Das notas na ficha reconheci a Leveza e identifiquei a Canela, acrescentando de minha lavra um final prolongado na boca!

Como toda a envolvente, e o dia de chuva lá fora, convida a um recolhimento tranquilo, fui ficando em tranquila meditação, saboreando aquela bebida das alturas de África, e lendo Stefan Zweig, O Mundo de Ontem, as suas memórias, com destaque para as reflexões sobre a Europa antes das Guerras Mundiais do Século XX, que tudo mudaram e cujas consequências ainda hoje sofremos!